Segurança e violência

A violência contra meninas e mulheres, incluindo violência sexual e baseada em gênero, é predominante em todo o mundo. Todos os dias, meninas e mulheres são vítimas da violência. A violência contra as meninas pode acontecer em diferentes momentos de suas vidas e de maneiras variadas. Em alguns países, a violência contra meninas e mulheres é comum. Ir a pé para a escola ou buscar água já pode colocar as meninas em risco.

Os fatos

  • 14% das mortes de meninas entre 15 e 19 anos são atribuídas à violência
  • A automutilação também é uma questão séria: o suicídio é hoje a maior causa de mortes entre meninas de 15 a 19 anos
  • A violência afeta meninos e meninas de maneira diferente. Estudos mostraram que os meninos correm maior risco de homicídios e violência relacionados a gangues, enquanto as meninas são desproporcionalmente afetadas pela violência sexual e baseada no gênero
  • 1/4 das meninas em todo o mundo (70 milhões) disse que foram vítimas de violência física até 15 anos de idade

O Girl Up e a ONU

O Girl Up está trabalhando com a ONU para garantir que meninas adolescentes fiquem seguras e livres de violência. Os programas da ONU apoiados pelo Girl Up trabalham para prevenir e proteger meninas contra todas as formas de violência, abuso e exploração baseados em gênero, e para garantir que meninas que sofrem violência recebam proteção imediata, serviços assistenciais e acesso à justiça.

Uma solução é fornecer maior acesso a lenha, água e banheiros para que as meninas não tenham que se locomover para longe de suas casas. Proporcionar um espaço seguro às meninas representa a chance de estar com outras meninas e mentores, e diminui o medo de se tornar uma vítima da violência.

Guatemala

A Guatemala está se esforçando para fazer avanços depois de três décadas de violência, mas o país ainda enfrenta um nível pobreza generalizada que afeta meninas e mulheres. Meninas adolescentes na Guatemala, especialmente meninas indígenas que vivem em áreas rurais, enfrentam altas taxas de violência. Quase metade de todos os casos reportados de violência contra as mulheres acontece com meninas e mulheres jovens na faixa etária de 13 a 27 anos, e aproximadamente duas meninas ou mulheres são assassinadas todos os dias na Guatemala. O Girl Up está apoiando programas da ONU que reúnem instituições governamentais responsáveis pela proteção de meninas adolescentes, bem como programas que conscientizam as comunidades sobre violência baseada em gênero e ensinam líderes comunitários a agir diante de casos de violência. Além disso, o Girl Up apoia instituições educacionais que ensinam meninas adolescentes sobre seus direitos, fornecem às meninas clubes onde elas podem ter um espaço público seguro para se encontrar com mentores e participar de atividades de aprendizagem de habilidades.

Malawi

No Malawi, o Girl Up está trabalhando com parceiros da ONU para manter adolescentes livres de violência sexual e de gênero, apoiando uma campanha contra o casamento infantil que vai educar e mobilizar meninas, meninos e famílias para acabar com essa prática. O Girl Up também ajuda a empoderar as meninas para que se posicionem diante de decisões que afetam suas vidas. O Girl Up apoia o lançamento da campanha Diga NÃO à Violência Baseada em Gênero, que ensina adolescentes sobre os direitos das meninas e os danos causados pela violência baseada em gênero. Além disso, com o apoio do Girl Up, a ONU está trabalhando para estabelecer planos de gestão de casos e estruturas de prestação de serviços, como comitês de proteção infantil nas escolas, para apoiar meninas que sofreram violência.

Etiópia

O Girl Up apoia o trabalho do ACNUR para abordar alguns dos desafios que as meninas refugiadas somalis, deslocadas pela crise humanitária, enfrentam na Etiópia. O programa fornece lâmpadas à energia solar para as meninas estudarem à noite. Esta é uma maneira ecologicamente correta de reduzir o risco de violência que as meninas podem enfrentar caso precisem pegar lenha para as necessidades de energia de sua família. O programa também trabalha com escolas e professores nos campos de refugiados para melhorar a compreensão dos professores sobre as questões de gênero em sala de aula, estabelecer políticas antiassédio e antibullying nas escolas e proporcionar às meninas um ambiente seguro.

Libéria

Como a Libéria passou por uma guerra civil, as meninas e as mulheres são mais vulneráveis à violência sexual em geral e baseada em gênero. O Girl Up apoia os esforços da ONU para reduzir a prevalência de práticas tradicionais prejudiciais e violência contra meninas, fornecendo apoio psicossocial em centros para juventude da comunidade a meninas afetadas pela violência sexual ou baseada em gênero. Os recursos também ajudam a estabelecer um diálogo comunitário sobre educação, saúde e práticas culturais das meninas.

Índia

Um dos maiores desafios enfrentados por meninas e mulheres na Índia é a violência, tanto em público quanto dentro de casa.  O Girl Up apoia a Iniciativa de Ação para Meninas Adolescentes (AMA) do ACNUR em uma das regiões mais populosas da Índia, o Rajastão, que aborda a questão da violência baseada em gênero. Relatórios mostram que 49% das mulheres no Rajastão sofreram algum tipo de violência sexual ou física, e uma em cada cinco sobreviventes de estupro tem menos de 18 anos de idade.  A iniciativa AMA está criando parcerias com organizações locais para fornecer espaços seguros para meninas adolescentes, protegendo-as e ensinando-lhes sobre seus direitos humanos básicos.