Educação para refugiadas

Entre em contato com seu Senador dos EUA         Agradecer ao seu representante

Há mais de 65 milhões de pessoas que foram forçadas a abandonar suas casas em todo o mundo. As meninas que deixam suas casas são, na maioria das vezes, as mais vulneráveis e com menos chances de frequentar a escola. O governo dos EUA pode desempenhar um papel fundamental para garantir que todas as meninas tenham acesso à educação.

Pobreza e conflitos obrigam milhões de famílias a fugirem de suas casas. E com os conflitos prolongados na Síria e no Sudão do Sul, a crise de refugiados está mais urgente agora do que nunca. A taxa de matrículas escolares entre crianças refugiadas é muito menor que a média global. Os estudantes refugiados muitas vezes não têm escolas nas proximidades, e as escolas que aceitam refugiados lutam com a falta de materiais didáticos, aulas superlotadas e barreiras linguísticas.

As meninas refugiadas que não estão na escola são especialmente vulneráveis ao casamento precoce, ao tráfico de pessoas e ao trabalho infantil. Os EUA devem trabalhar para garantir que todas as meninas forçadas a fugir de suas casas possam continuar sua educação.

Atualização: Em 3 de outubro de 2017, a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou a H. R. 2408 por unanimidade. Estamos pedindo agora aos apoiadores que contatem seus senadores para garantir que a S. 1580 passe pelo Senado dos EUA.

Entre em contato agora com o seu senador para solicitar seu apoio à S. 1580 e agradeça ao seu representante eleito!

Entre em contato com seu Senador dos EUA         Agradecer ao seu representante

Sobre a legislação

R.H. 2408 e S. 1580, a lei de proteção ao acesso à educação em ambientes vulneráveis, se concentra em 65 milhões de pessoas que foram deslocadas de suas casas, especialmente nos 50% que têm menos de 18 anos. Este projeto transmite ao Congresso dos EUA que é fundamental garantir que as crianças deslocadas tenham acesso a serviços educacionais, recebam educação de qualidade e que as necessidades educacionais de meninas e mulheres sejam consideradas na elaboração, implementação e avaliação de nossos programas de ajuda externa. O projeto foi apresentado pelo deputado Steve Chabot (OH) e pelo deputado Robin Kelly (IL), na Câmara, e pelo senador Marco Rubio (FL) e pelo senador Menendez (NJ), no Senado.

Saiba mais no resumo da lei de educação para meninas vulneráveis.

O que a lei faz?

Para garantir que os refugiados recebam a educação de que precisam, a lei pede ao governo dos EUA que:

  • Incentiva os países a apoiar os esforços para fornecer aos refugiados acesso a educação fundamental e média segura e de qualidade.
  • Melhora o treinamento e a criação de empoderamento dos governos nacionais que abrigam refugiados, proporcionando a coordenação entre a ONU, o Banco Mundial, organizações não-governamentais locais e internacionais e outras partes da sociedade civil.
  • Promove o recebimento de refugiados nos sistemas educacionais locais, especialmente com soluções inovadoras, como escolas de turnos e horários estendidos.
  • Incorpora medidas para avaliar o impacto da educação na vida das meninas com relação à redução do casamento infantil, violência baseada em gênero, tráfico e trabalho forçado.

Ligue para o seu representante eleito

Programe uma reunião no distrito